Marco histórico de Goiânia, Museu Pedro Ludovico reabre ao público

0
Goiânia – O estilo palaciano do casarão no centro de Goiânia chama a atenção. O imóvel que preserva o estilo art déco abriga mais do que móveis, utensílios, roupas, fotos e documentos do fundador da capital goiana, Pedro Ludovico Teixeira; promove um encontro com a história da cidade. 
O local, que se transformou em museu no ano de 1987, foi reaberto nesta manhã de quinta-feira (5/7) após quase um ano fechado para reforma. A data para retomada das atividades foi escolhida especialmente para comemorar os 76 anos de Batismo Cultural da cidade. 
“O Museu é uma testemunha viva da nossa história goianiense recente, já que vemos no horizonte seu começo. Esse local é uma porta aberta para essa história e, adentrar ao museu é ter acesso a essa trajetória emocional e afetiva. Isso é raro nas cidades brasileiras. Além do acervo pessoal de Pedro Ludovico  e de sua esposa, Dona Gercina, temos muitos dados e documentos que registram e ilustram a nossa história”, descreve o superintendente de cultura de Goiás, PX Silveira. 

PX Silveira diz que Museu é uma testemunha viva da história goianiense (Foto: Kamylla Rodrigues / A Redação)

A casa de Pedro Ludovico expõe elementos da mudança da capital de Goiás e na época de sua construção, o interventor chegava a despachar debaixo de uma árvore na Rua 20, como conta PX. “Esse jeito de fazer política era o ‘modus operandi’ de Pedro Ludovico: arrojado e que estava à frente de seu tempo. Ele não esperava as condições ideais para fazer o que queria e por isso se tornou uma figura tão representativa”, afirma o superintendente. 
O neto de Pedro Ludovico, Ubiratã Teixeira reforça a necessidade de se preservar e cultuar boas práticas políticas com a exposição dos fatos. “Essa reabertura vem em um momento político importante, não só por conta do museu, mas pela atuação de Pedro Ludovico, que carregava a honestidade como princípio. Naquela época, o pensamento era no coletivo, no progresso. E esse espírito público precisa ser eternizado para servir de exemplo”, declara. 

Ubiratã Teixeira reforça a necessidade de se preservar a história (Foto: Kamylla Rodrigues / A Redação)

Para os interessados na história, todo o acervo está disponível em formato digital no Museu Pedro Ludovico e, também, no Centro Cultural Marieta Telles Machado, na Praça Cívica.
A reforma
A reforma custou R$ 130 mil e ficou concentrada em toda parte da subcobertura do telhado, que passava por problemas de infiltração no período das chuvas. O imóvel também recebeu pintura interna e externa resgatando as cores originais do edifício.
“Por ser uma casa da década de 1930, esses reparos são frequentemente necessários e tentamos buscar a cor original da casa. Fizemos um trabalho de raspagem nas paredes da casa e chegamos a essa cor. Esse trabalho de recuperação e preservação do patrimônio é importante para o cidadão porque a casa é considerada o berço da cidade. O cidadão tem que conhecer a história da cidade a qual ele pertence. Preservar nossa história significa preservar essa casa”, explica o diretor do museu, Pedro Henrique Gomes de Santana.
Horário de funcionamento
Com a reabertura, o Museu Pedro Ludovico Teixeira volta a receber o público de visitantes, assim como atender a estudantes e pesquisadores do acervo disponível. Os horários são de terça-feira a domingo, das 9 às 17 horas. As visitas serão guiadas por museólogos ou por funcionários. O museu também contará com segurança 24 horas e estará de portas abertas no horário de visitação – antes, era necessário tocar uma campainha. 
Novidades
Uma das novidades na programação é o projeto Café com Pedro, que promete desenvolver durante todas todo mês encontros, debates, ações educativas, saraus e oficinas voltadas para o patrimônio e conservação.
O evento de reabertura do museu também marcou a criação do Conselho Consultivo de Notáveis, formado por membros de áreas além da cultura, com a finalidade de dar mais visibilidade ao local e reiterar sua importância. “Todos os segmentos da sociedade serão convocados. Eles poderão sugerir ações e nos ajudar com reflexões e consultas, e indicações. É uma instância que vai colaborar para solidificar o museu enquanto presença na sociedade e dar visibilidade a seu acervo”, complementa PX Silveira. 
Quem foi Pedro Ludovico
Pedro Ludovico Teixeira era médico, nascido na cidade de Goiás no dia 23 de outubro de 1891, e falecido em Goiânia, no dia 16 de agosto de 1979. Foi casado com Dona Gercina Borges Teixeira, primeira-dama com extenso trabalho social.
Por Kamylla Rodrigues 
https://www.aredacao.com.br/cultura/105714/marco-historico-de-goiania-museu-pedro-ludovico-reabre-ao-publico
Share.

About Author

Comments are closed.